CLASSIFICAÇAO DAS VINHAS

 

As Quintas e vinhas no Douro estão organizadas de acordo com um sistema de classificação com base nas caraterísticas físicas de uma vinha e o seu potencial para produzir vinhos de qualidade. O sistema é gerido pelo Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) e um dos seus incentivos é assegurar que as vinhas que produzem uvas de alta qualidade recebam um preço especial. A função secundária deste sistema é permitir às quintas com altas classificações colher mais uvas do que as quintas de baixa graduação assegurando uma produção de vinho do porto de qualidade.

As origens deste sistema datam dos meados de séc. XVIII quando Marquês de Pombal fomenta a criação da região Demarcada do Douro. Anteriormente, no início do Séc. XVIII, os exportadores de vinho do Porto britânicos tinham grande controlo sobre a indústria do Vinho do Porto e depois de uma série de escândalos, tal como adulterar o porto com sumo de bagas de sabugueiro, Marquês de Pombal estabeleceu a Companhia Geral de Agricultura e Vinhos do Douro.

O conceito “benefício” foi estabelecido para agricultores e produtores de uvas de vinho do porto que é efetivamente uma licença que autoriza a produção de uma certa quantidade de porto. Estas medidas asseguram que o mercado de porto não fosse inundado, e que os vinhos fossem de alta qualidade. O “benefício” ainda hoje existe e varia de ano para ano dependendo da qualidade de produção da vinha, das condições climatéricas e as condições do mercado.

Não foi até meados do Séc. XX, que o sistema de classificação passou a existir após a formação da Casa do Douro, criando uma aliança entre os viticultores.

Cada vinha ou quinta foi avaliada e premiada de acordo com uma classificação numérica para as práticas do terreno, viticultura e vinha. Outros aspectos tidos em conta na classificação são: localização, altitude, vista, ângulo do socalco, o solo, os patamares, o micro-clima, densidade de plantação, produtividade, idade da vinha, variação do tipo de uva e tipo de poda. Os pontos totais ganhos ditam a graduação que vai desde A até F, com graduação A a vinha é considerada a melhor. 

Hoje em dia, o IVDP classifica e taxa as vinhas do Douro todos os anos, determinando desta forma o nível de produção e o preço que o agricultor pode receber pelas suas uvas para porto. O IVDP também regula e controla a qualidade dos vinhos de mesa produzidos no Douro (DOC).

Clique na fotografia para ecrã inteiro.