douROSA Tinto

douROSA Tinto 2015

 

CASTAS

Variedades autóctones tradicionalmente usadas na produção de vinho do Porto: Touriga Nacional (52%) entre outras: Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinto Cão (48%). 
 

SUGESTŌES PARA PROVA

Pronto a consumir, mas com potencial para evoluir bem nos próximos 5 anos. É um vinho muito versátil: se servido mais fresco (15-16.ºC) acompanha bem pratos ligeiros; a uma temperatura mais alta (18.ºC), pratos de carne mais pesados e alguns queijos. Ideal para cozinha italiana, carnes brancas e peixes de forno.
 

NOTAS DE PROVA

Na Quinta de la Rosa procuramos fazer vinhos harmoniosos, elegantes e que expressem a vinha e as uvas (terroir) na garrafa.
 
Esta vindima decorreu com alguns períodos de chuva o que deu origem a vinhos mais ligeiros do que é habitual no Douro. No caso do Dourosa, que pretende ser um vinho mais fácil e de consumo no dia-a-dia, estas condições, à partida adversas, são positivas. O Dourosa 2015 é aromático, leve e refrescante; mantém todas as características dos vinhos tintos do Douro, mas de uma forma suave e harmoniosa.

 

NOTAS DE PRODUÇÃO

A fantástica qualidade de uvas na vindima de 2015 apanhou toda a gente de surpresa. Não tivemos as condições meteorológicas ideais para ter um grande ano, mas ficamos muito agradados com as belas uvas que nos chegaram à adega. O inverno e primavera foram secos e com pouca chuva. Um tempo estável que permitiu uma boa floração que fez prever uma vindima abundante - boas notícias depois de dois anos com produção relativamente baixa.
 
O verão foi geralmente quente e com pouca chuva, com a exceção de uma tempestade que tivemos em Maio. Em Agosto as vinhas estavam num intenso stress hídrico. Devido à falta de água, as folhas escureceram e ficaram acastanhadas – especialmente nas vinhas mais jovens com raízes mais pequenas. A boa notícia é que a fruta sobrepôs-se a este stress e entrou na adega com elevada qualidade. A vindima foi longa e lenta. Jorge diz sempre que decidir quando começar o corte da uva é a sua decisão mais importante e este ano não foi fácil. Começamos o corte da uva branca cedo, a meio de Agosto, passando para as uvas tintas (Vale Grande) a 7 Setembro e dois dias depois estávamos no Vale do Inferno. Devido à chuva torrencial que caiu durante uns dias (motivado pelo furacão Henry) paramos a vindima, na terça-feira 15 de Setembro, para deixar as uvas secar um pouco. Terminamos a vindima na Cerejinha, uma vinha virada a norte, a 3 de Outubro.

 

QUALIDADE E SEGURANÇA-AMBIENTE

Na Quinta de la Rosa pratica-se uma agricultura sustentável, certificada pelas entidades ADVID e SATIVA. Trabalhamos segundo os padrões fa Norma BRC – British Retail Consortium (Referencial Global para a Segurança Alimentar). Os vinhos não contêm, não foram produzidos a partir de, e não incluem substâncias com origem em Organismos Geneticamente Modificados. Não são usados quaisquer produtos provenientes de animais.

 

MATURAÇÃO E ENGARRAFAMENTO

Fermentado em cubas de inox a baixas temperaturas e macerações suaves.
Engarrafado em Julho de 2016.

 

Older vintages

Envelhecimento: 
Até 5 anos
Produçâo: 
30.000 garrafas
Alcool: 
14,0%
Acidez:
5,0 g/dm3
Acidez Volátil:
0,6 g/dm3

 

Ph: 
3,7
SO2:
74 mg/dm3
Açucar Residual:
0,6 g/dm3