AS VINHAS DA LA ROSA

“A vinha da la Rosa estendem-se ao longo das margens do rio Douro e sobem até uma altitude de 400 metros”

Existem 11 vinhas separadas na la Rosa algumas localizadas ao longo das margens do rio Douro enquanto outras se encontram a uma altitude de 400 metros.

 
VINHAS NA PARTE BAIXA DA QUINTA

 

VALE GRANDE

Variedade: Touriga Nacional (2.5ha)

Rendimento médio em kg/ha: 2770

Data de plantação: 2001

Compasso: 2.6m × 1 m

Vista: Norte e Sul

Tipo de socalco: Patamares

Originalmente o Vale Grande pertencia à Quinta Amarela que foi comprada em 1907 por Albert Feuerheerd, bisavô de Sophia. A vinha localiza-se mesmo depois da Amarela e chega até ao leito do rio Douro

 

DONA SOPHIA

Variedade: Touriga Nacional (0.36 ha), Sousão (0.74 ha) e vinhas velhas (0.1 ha)

Rendimento médio em kg/ha: Touriga Nacional 2417, Sousão 2568

Data de plantação: 2004 (misturas de vinhas 1933)

Compasso: 2.6 m × 1 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: Patamares

O nome desta vinha deve-se a Sophia tetra-avó de Sophia Bergqvist. É uma das vinhas mais antigas da Quinta de la Rosa, embora tenha vindo a ser reconstruída nos últimos anos, localiza-se perto da Casa Principal da Quinta mesmo acima do rio.

 

VALE DO INFERNO

Variedade: Touriga Nacional (3 ha), Sousão (1 ha)

Rendimento médio em kg/ha: Touriga Nacional 4023, Sousão 2080

Data de plantação: 2007

Compasso: 1.5 m × 0.8 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: patamares antigos com paredes altas

Situado a oeste da Quinta de La Rosa, ao longo das margens do rio Douro, o Vale do Inferno é a vinha mais antiga da Quinta de la Rosa. Foi construído antes da I Guerra Mundial pelo bisavô de Sophia, Albert Feuerheerd, e possui alguns dos mais altos muros de xisto em socalcos no Douro, alguns são tão imponentes que atingem os 5 metros de altura. Estes terraços altos foram classificados como Património da Humanidade pela UNESCO.

Um pouco pioneiro, Albert decidiu contruir rampas em vez de escadas, para fazer a ligação a cada patamar, o que permitia que mulas lavrassem por toda a vinha. Irónicamente, hoje em dia, o Vale do Inferno é inteiramente cultivado à mão uma vez que os terraços não são propícios para os tractores, fazendo com que seja a vinha mais trabalhosa.

Em 1999, todas as uvas do Vale do Inferno foram usadas para fazer o La Rosa Porto Vintage. Esta foi a única vez em que o Vale do Inferno foi lançado como um “Single Quinta Vintage”.

 

VINHA GRANDE NOVA

Variedade: Touriga Nacional (3.5 ha), Touriga Franca (1.5 ha), Tinto Cão (1 ha) mistura de Touriga Franca e Tinto Cão (1 ha)

Rendimento médio em kg/ha: Touriga Nacional 2165, Touriga Franca 5640, Tinta Cão 4910, Tinto Cão e Touriga Franca 4770

Data de plantação: 1998

Compasso: 2.6 m × 1 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: Patamares

 

VINHA GRANDE VELHA

Variedade: vinhas velhas (1.02 ha)

Rendimento médio em kg/há: vinhas velhas 657

Data de plantação: 1930

Compasso: 2.6 m × 1 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: Patamares

A Vinha Grande Nova e a Vinha Grande Velha estão localizadas acima da estrada perto da casa principal da Quinta de La Rosa.

 

VINHAS NA PARTE SUPERIOR DA QUINTA

As vinhas seguintes estão localizadas a uma distância mais longa desde a propriedade principal, os caminhos entre as vinhas sobem bastante, por alguns quilómetros. O primeiro par de vinhas, mais próximas, são a Lameira do Rego e Dona Clara que se localizam à esquerda, viradas a noroeste.

Estas duas vinhas foram compradas por Tim Bergqvist em 1973. Dona Clara foi plantada em memória à mãe de Tim Bergqvist, Claire, que viveu a maior parte da sua vida adulta na Quinta de la Rosa. Claire deve ter sido um dos primeiros não-portugueses a viver no Vale do Douro, um local que para a altura, meados do século XX, era um tanto ou quanto remoto e isolado para fazer dele nossa casa.

 

LAMEIRA DO REGO

Variedade: vinhas velhas (4.92 ha)

Rendimento médio em kg/ha: vinhas velhas 1889

Data de plantação: 1970

Compasso: 2.6 m ×1 m

Vista: Noroeste

Tipo de socalco: Patamares

 

DONA CLARA

Variedade: vinhas velhas (2.32 ha)

Rendimento médio em kg/ha: vinhas velhas 1836

Data de plantação: 1970

Compasso: 2.6 m × 1m

Vista: Noroeste

Tipo de socalco: Patamares

 

CEREJINHA

Variedade: vinhas velhas  (2.77 ha)

Rendimento médio em kg/ha: vinhas velhas 1836

Data de plantação: 1970

Compasso: 2.6 m × 1 m

Vista: Noroeste

Tipo de socalco: Patamares

 

LAMELAS

Variedade: Touriga Nacional (4.49 ha), Touriga Franca (4.21 ha), Tinta Roriz (6.07 ha) Tinta Barroca (2.12 ha), vinhas velhas (0.2 ha)

Rendimento médio em kg/ha: Touriga Nacional 2086, Touriga Franca 2872, Tinta Roriz 1781, Tinta Barroca 4733, vinhas velhas 3700

Data de plantação: 1985 (vinhas velhas 1930)

Compasso: 2.6 m × 1 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: Patamares

Tirando vantagem dos custos baixos dos empréstimos do Banco Mundial, Tim Bergqvist comprou a Quinta de Lamelas e a sua terra em 1985, fazendo da Quinta de La Rosa uma propriedade respeitável de 55 hectares. A vinha de Lamelas é uma das vinhas mais altas e tem fantásticas vistas sobre o Vale do Douro.

Plantada em sistema de patamares, hoje em dia, a vinha de Lamelas atingiu o seu estado de amadurecimento. Com o seu excelente aspecto meridional, a vinha produz uvas bem maduras, com ricos sabores complexos e excelente estrutura, que são usados nos nossos vinhos tintos La Rosa.

 

DONA SARAH

Variedade: Touriga Nacional (3.37 ha), Sousão (1.26 ha)

Rendimento médio em kg/ha: Touriga Nacional 3106, Sousão 1960

Data de plantação: 2004 (mistura de vinhas 1933)

Compasso: 2.6 m × 1 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: Patamares

 

FAUSTO

Variedade: vinhas velhas (0.31 ha)

Rendimento médio em kg/ha: 1903

Data de plantação: 1930

Compasso: 1.5 m × 1 m

Vista: Sul

Tipo de socalco: Patamares antigos

Dona Sarah e Fausto foram compradas em 1985 e eram parte de uma terra que veio em conjunto com a compra da Quinta de Lamelas. A maioria da vinha Dona Sarah foi desenvolvida do nada em 2004 e o nome foi dado em memória da primeira esposa de Philip, Sarah. A vinha produz excelente Sousão, o que dá ao nosso Vintage cores vibrantes e intensas.

 

Clique na fotografia para ecrã inteiro.