Tim Bergqvist

 

Tim passou a maior parte de sua infância a viver em Portugal com a sua mãe na La Rosa. Ele foi educado na Inglaterra e depois de se formar na Universidade de Cambridge, Tim juntou-se à empresa Dunlop para trabalhar em Gana, Líbano e Itália. Em Beirute , conheceu Patrícia e em pouco tempo eles se casaram e tiveram três filhos, Sophia , Philip e Juliet. Quando o seu pai morreu em 1971, ele integrou a Eucalyptus Pulp Mills como vice presidente, a empresa de celulose da família com sede em Portugal, tornando a sua vida cada vez mais ligada intimamente a Portugal.

Tim assumiu a gestão da La Rosa em 1972, quando a sua mãe, Claire, faleceu. Neste altura, a La Rosa era um produtor de excelência de uvas, cuja produção era vendida à Sandeman. A década de 1970 foi um período turbulento em Portugal com uma revolução comunista em 1974, que acabou passado alguns anos mais tarde. Felizmente, a La Rosa sobreviveu e após a venda da Eucalyptus Pulp Mills em 1987, Tim e Sophia decidiram iniciar a La Rosa como um produtor de vinho do porto de qualidade excepcional. Mais tarde na década de 1990 tornaram-se os pioneiros na produção de vinhos de mesa do Vale do Douro.

Tim continuou a estar activamente envolvido na comercialização e gestão da La Rosa até o início deste século. Agora, ele tem um papel menor, mas está sempre presente como consultor e conselheiro.

Clique na fotografia para ecrã inteiro.