História Do Vinho do Porto

“ Todos os vinhos se pudessem seriam vinhos do Porto”

Ricos, doces e com sabores intensos, o vinho do Porto é indiscutivelmente o melhor vinho fortificado produzido na Região Demarcada no Vale do Douro no Norte de Portugal. Para produzir este vinho majestoso, o processo de fermentação é parado adicionando a aguardente vínica antes dos açúcares naturais se converterem em álcool. O resultado é a criação de vinho do Porto – poderoso, robusto, corpóreo e delicioso por si só ou como um aperitivo ou no final da refeição a acompanhar um queijo ou sobremesa.

A primeira experiência de beber um vinho do porto pode ser comparada à entrada num novo mundo cheio sabores e sensações gustativas e com uma infinidade de estilos de Vinho do Porto para serem saboreados e apreciados. Desde a complexidade e sutileza de um bom Porto Vintage aos ricos sabores a nozes de um Tawny envelhecido ou à leveza de um jovem frutado Ruby – nunca nos cansamos desta imensa diversidade.

Para os Britânicos, o vinho do porto é tradicionalmente bebido depois do jantar com queijo e pudim ou por si só como se fosse uma sobremesa. Enquanto que, os Franceses e outros Europeus são conhecidos por saborearem os Rubys leves ou o Porto Branco como um aperitivo. Hoje em dia, as pessoas apreciam o vinho do porto a qualquer hora e a tradição de apreciar um copo de vinho do porto gelado antes das refeições está a ficar cada vez mais popular. O vinho do porto é também um excelente complemento para muitos pratos doces e salgados, como o chocolate, nozes e queijos (Stilton) e adiciona profundos sabores a muitas receitas.

Os Britânicos tem uma longa associação ao vinho do Porto e é historicamente considerado uma bebida especial para a época natalícia. Hoje em dia, embora o porto seja apreciado em todo o mundo e tenha sido muito popular nos E.U.A. durante os anos 90 quando era considerado elegante apreciar um cigarro com um copo de Vintage ainda novo. A imagem de o vinho do porto ser apenas bebido na época natalícia pela geração mais antiga está lentamente a mudar no Reino Unido e um mercado composto por pessoas mais jovens está a ser atraído. Muitos produtores, como a Quinta de La Rosa, estão a rejuvenescer a sua perceção do vinho porto produzindo garrafas mais pequenas (50cl) e modernas fazendo com que o porto seja visto como uma bebida para ser consumida a qualquer altura do ano.

A DESCOBERTA DO VINHO PORTO

As origens do Vinho do Porto não são bem claras. Acredita-se que em 1678, dois cavalheiros ingleses foram enviados para a região do Douro de forma a garantir alguns suprimentos de vinho para o mercado inglês. Durante as suas viagens, estes senhores foram entretidos por abades perto de Lamego que lhes ofereceram uma bebida chamada Pinhão que era doce, suave e alcoólica. Os cavalheiros ficaram tão impressionados com esta bebida que compraram tudo e expediram para Inglaterra. Os Ingleses adoraram e o comércio de vinho do porto (sendo enviado da cidade do Porto) floresceu.

INSTITUTO DO DOUDO E DO VINHO DO PORTO

O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) foi fundado em 1933 para coordenar as atividades da Casa do Douro e a corporação de exportadores de Vinho do Porto (Grémio dos Exportadores de Vinho do Porto, substituídos em 1974 pela associação de exportação de Vinho do Porto livre conhecida por AEVP). O IVDP, foi criado como um órgão oficial acima dos interesses específicos dos produtores de Vinho e dos exportadores. É um órgão do governo que reporta ao Ministério da Agricultura. As suas principais responsabilidades eram:

  • Aprovar a qualidade de todos os estilos de Porto
  • Aprovar o seu nome (Vintage, Tawny, etc….)
  • Autenticar o Vinho do Porto, produzindo selos.
  • Marketing portuário mundial (em conjunto com o ICEP Instituto do Comércio Externo de Portugal)
  • Aprovação dos rótulos
  • Definir um limite de exportação (venda) para os exportadores de Vinho do Porto 
  • Verificar os níveis de Stock mantidos pelos exportadores
  • Providenciar ajuda técnica
  • Manter um serviço de investigação específico
  • Aprovar a qualidade da aguardente vínica comprada para produzir vinho do Porto

Em 2003 o IVDP também assumiu a responsabilidade do vinho de mesa produzido na região do Douro com o surgimento do CIRDD e do VQPRD. Pra mais informações, por favor, aceda ao wbsite do IVDP, WWW.ivdp.pt.

CASA DO DOURO

Em 1932 os produtores criaram uma aliança e esse grupo começou a controlar a Federação dos Viticultores da Região do Douro, mais conhecidos como Casa do Douro. Incluem responsabilidades tais como:

  • Classificação das vinhas
  • Controlo benefício (produção por quotas) estabelecido por IVDP
  • Compra de excedentes de produção do vinho do porto a agricultores.

Aceda aqui para mais informações acerca de VARIEDADES DE UVAS

Clique na fotografia para ecrã inteiro.