Vale do Inferno Reserva

Vale do Inferno Reserva DOC 2014

IMPRENSA

93+ pts - Wine Advocate September 2017
 
Dos 4 ha da vinha do Vale do Inferno apenas 5 barricas foram seleccionadas para produzir este vinho de qualidade excepcional . O nosso enólogo, Jorge Moreira, tenciona produzir este Vinho apenas em anos verdadeiramente excepcionais.  A última vez tinha sido em 2005 e não iremos produzir outro Vale do Inferno durante pelo menos os proximos dois anos.
 

VARIEDADE DE CASTAS

Touriga Nacional.
 

SUGESTŌES PARA PROVA

Pode ser bebido agora ou envelhecido até 10 anos.
Acompanha preferencialmente pratos fortes e com carnes vermelhas. Boa harmonização com queijos, nomeadamente o da Serra (da Estrela).
 

NOTAS DE PROVA

No que diz respeito aos vinhos de mesa, o Douro ainda está largamente inexplorado. Ao produzirmos um vinho a partir de uma única vinha procuramos acima de tudo que seja a expressão máxima desse mesmo terroir. Mantemos o estilo da Quinta de la Rosa, que se define por vinhos equilibrados, com grande definição, sem recurso a muita extracção, maturações excessivas ou influência das barricas. Vinhos ricos e encorpados, mas ao mesmo tempo elegantes, com frescura, boa acidez e mineralidade.
 
Este Vale do Inferno, devido as condições mais frescas de 2014 e simultaneamente intenso mas delicado.  Fruta fresca com infusões cítricas e especiarias comõem o complexo aroma deste vinho. Não e excessivamente encorporado, e um vinho que surpreendo pelo ser vigor e energia.  Cheio de taninos, com alguma tensão, mas arestas. Este Vale do Inferno 2014 é um vinho em que valera acompanhar a sua evolução durante as primeira décadas.
 

NOTAS DE PRODUÇÃO

A vinha aguentou-se surpreendentemente bem num ano com tantos desafios. A floração deu-se tarde e a região do Douro foi atacada pela praga da traça-da-uva e por oídio. O Verão foi mais fresco e húmido que o normal. Registaram-se inúmeras trovoadas. Especialmente no início do Verão, ocorreram algumas tempestades de granizo, que provocaram buracos nas folhas e afectaram a parte mais alta da vinha. A vinha de Lamelas foi bastante atingida, tendo-se registado uma perda de 20% da colheita. Em geral, a vinha recuperou de uma forma impressionante.
 
Numa avaliação feita a meio de Agosto, previa-se um atraso de duas semanas para o final da floração e início da vindima. Felizmente, seguiram-se dias de calor intenso, que ajudaram ao início da vindima, que na Quinta de la Rosa aconteceu de forma gradual a partir de dia 25 de Setembro (relativamente tarde em relação a  anos recentes). A primara casta a ser vindimada foi, pela sua delicadeza, a Touriga Franca. Seguiram-se uns dias de sol maravilhosos, mas depois houve a ocorrência de muitas trovoadas, acompanhadas de chuva durante a tarde ao longo de cerca de duas semanas. De tão forte e persistente, a chuva chegou mesmo a obrigar que se parasse a vindima, que apenas viria a terminar a 9 de Outubro.
 
 

QUALIDADE E SEGURANÇA-AMBIENTE

Na Quinta de la Rosa pratica-se uma agricultura sustentável, certificada pelas entidades ADVID e SATIVA. Os vinhos não contêm, não foram produzidos a partir de, e não incluem substâncias com origem em Organismos Geneticamente Modificados. Não são usados quaisquer produtos provenientes de animais.
 

MATURAÇÃO E ENGARRAFAMENTO

As uvas do Vale do Inferno foram pisadas a pé em lagares de granito e posteriormente fermentadas em pequenas cubas de inox, seguindo-se o estágio em cascos de carvalho francês.
Engarrafado em Julho de 2017.

 

Older vintages

Envelhecimento: 
Até 10 anos
Produçâo: 
1500 garafas
Alcool: 
14,5%
Acidez:
5,6 g/dm3
Acidez Volátil:
0,9 g/dm3

 

Ph: 
3,6
SO2:
72 mg/dm3
Açucar Residual:
0,9 g/dm3